A medalha Dickin

0
10

“Por bravura – Nós também servimos” são os dizeres do medalhão de bronze, com uma fita tricolor (azul, marrom e verde), que condecorou, entre 1943 e 1949, veteranos de guerra por cumprimento do dever e honra militar.

Seria apenas mais uma honraria entre as diversas criadas no pós-Segunda Guerra para condecorar os veteranos (que não foram poucos), sobreviventes dos horrores de quatro anos do conflito mundial e de alguns conflitos subsequentes, se não fosse por seus agraciados: animais que serviram com batalhões das Forças Armadas na guerra ou mesmo em serviços de emergência e segurança civil de países diretamente afetados pelo conflito.

Criada pelo People’s Dispensary for Sick Animals (Dispensário Popular para Animais Doentes, em tradução livre), pioneira instituição inglesa de cuidado a animais dos pobres (que não podiam pagar veterinários) criada no fim da Primeira Guerra Mundial pela britânica Maria Elisabeth Dickin, a medalha foi entregue a apenas 54 animais: 32 pombos, 18 cães, 3 cavalos e 1 (solitário) gato. Foi feita para lembrar aos “humanos” da importância do serviço de animais na guerra – utilizados por séculos em batalha, cavalos são um ótimo exemplo de animais que deram a vida por causas humanas para as quais eles não davam a mínima.

Um agraciado que gostaria de citar aqui, o primeiro animal de fora do Reino Unido a receber a Medalha Dickin, em 4 de Novembro de 1946 – G. I. Joe, um pombo correio do Serviço de Pombos do Exército dos Estados Unidos. Serviu na guerra entre 1943 e 1945, e seu principal feito foi, durante a retomada da Itália pelos Aliados, avisar à base aérea aliada que a vila de Calvi Risorta, no sul da península, tinha sido finalmente conquistada pelos britânicos – como a resistência dos alemães era árdua, as tropas pediram reforço aéreo, num bombardeio à vila para posterior investida. Como os britânicos já tinham ocupado a vila, um bombardeio seria fogo amigo destruidor e custaria as vidas de milhares de habitantes e dos soldados. Foi então que o pombo foi enviado, cobrindo mais de 32 quilômetros em 20 minutos para entregar a urgente mensagem, quando os bombardeiros já eram preparados para quebrar a pequena cidade e as posições antes nas mãos dos nazistas. Considerado responsável por salvar milhares de vidas, G. I. Joe morreu em 3 de junho de 1961, em Detroit, nos Estados Unidos. No Serviço de Pombos dos EUA na guerra, mais de 90% das mensagens enviadas eram entregues com sucesso.

Outras condecorações de honra militar a animais foram criadas com o tempo, mas nenhuma foi tão simbólica quanto a Dickin Medal original da Segunda Guerra Mundial, que é chamada por alguns de “Cruz Vitória dos animais” (a Cruz Vitória é uma famosa condecoração de guerra britânica, mas só para seres humanos).

 

IMAGEM= G.I. Joe, exibido já morto e empalhado no United States Army Communications Electronics Museum.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS