Dom Pedro I abdica ao Trono do Brasil

Dom Pedro I abdica ao Trono do Brasil no dia 7 de abril de 1831 em Palácio Imperial.

Algumas razões levaram à abdicação de Dom Pedro I segundo os historiadores, entre elas o desfecho e impostos gerados com a Guerra Cisplatina, em que o Brasil mesmo ganhando em números absolutos concedeu a independência ao Uruguai, os termos do tratado de reconhecimento da Independência do Brasil, a conturbada vida pessoal do Imperador, as crescentes disputas entre o “partido português” e o “partido brasileiro” que culminaram com a “Noite das Garrafadas” em 11 de Março e sua disputa com seu irmão o Rei Dom Miguel I de Portugal.

Com tudo isso desgastando sua imagem política, o Imperador preferiu para a manutenção da paz e do próprio Império, abdicar ao Trono do Brasil em nome de seu filho, o Príncipe Imperial, Dom Pedro de Alcântara, às 3 da madrugada do dia 7 de Abril, em meio a tumultos populares.

Entregou o documento de abdicação ao Major Frias de Vasconcelos disse: “Aqui tens a minha abdicação; desejo que sejam felizes! Retiro-me para a Europa e deixo um país que amei e que ainda amo”.

Em meio a lágrimas despediu-se dos filhos que ficariam para trás, o Príncipe Imperial e as Princesas Januária, Francisca e Paula, porém sem acordá-los. Nomeou o seu amigo José Bonifácio de Andrada e Silva como tutor dos Príncipes e ainda de madrugada partiu para fragata inglesa Warspite com a Imperatriz e Dona Maria II, zarpando somente dia 13 de Abril em outra fragata, a Volage, mantendo contato com seus filhos neste meio tempo somente por emocionadas cartas.

Imagem: “A abdicação do primeiro Imperador do Brasil, D. Pedro I.”, Aurélio de Figueiredo, 1911.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS