Gregor Mendel, o pai da genética

0
53

No dia 20 de julho de 1822 nascia, na vila de Heizendorf bei Odrau, Johann Mendel, filho de camponeses germânicos (mais especificamente de Anton e Rosine Mendel) do então Império Austríaco, que vem a se transformar no Império Austro-Húngaro durante a vida de Johann e onde hoje fica a República Tcheca.

Vivia, com seus pais e duas irmãs (era o filho “do meio” da família) numa fazenda que já pertencia aos Mendel há gerações, na infância trabalhando como jardineiro e estudando apicultura. Já quando jovem adulto, incentivado pela família, frequentou o ginásio (meio-termo entre o ensino básico e a universidade) em Opava, depois ingressando na faculdade de filosofia da Universidade de Olomouc (a segunda mais antiga da República Tcheca) e estudando lá entre 1840 e 1843. Neste período, passou um ano fora dos estudos por conta de uma doença, e passou por grandes dificuldades financeiras para pagar seus estudos. Um exemplo (só para que tenhamos uma noção de como foi difícil para Mendel ter um ensino superior) é o do dote do casamento da irmã caçula, Theresia, que foi dado a Johann para que ele pudesse prosseguir estudando (anos depois Johann ajudaria a criar os três filhos dela, dos quais dois vêm a se tornar doutores). Até que um dia ele não teve outra alternativa para continuar seus estudos senão ingressar na Ordem de Santo Agostinho, tornando-se monge e adotando o nome Gregor, pelo qual ficou conhecido.

Agora sendo monge, os estudos de Mendel eram oferecidos pela própria Igreja Católica (boa parte das universidades da época eram comandadas por ordens religiosas). Foi professor substituto por um período, até que falhou na prova oral para se tornar um professor regular. Então, foi enviado para a Universidade de Viena, onde teve aulas de Física com o famoso físico austríaco Christian Andreas Doppler. Ao voltar para a abadia, tornou-se abade, tomando para si a responsabilidade sobre a administração do monastério e ficando, assim, mais inativo em suas pesquisas científicas. Foi líder de diversas instituições de ciência na região de Brno (cidade onde se localizava sua abadia), e manteve nesta cidade um periódico sobre as descobertas científicas de cientistas locais.

O trabalho de Mengel para a Ciência é desprezado durante seu tempo, e vem à tona apenas no início do século XX embora seus livros estivessem presentes em todas as grandes bibliotecas da Europa. Ele realizou experiências sobre a hereditariedade de algumas características em plantas, abelhas (que ele criou a maior parte da vida, já que dominava a apicultura, sendo fundador da Sociedade de Apicultura de Brno) e finalmente camundongos. Descobriu que existia um par de unidades elementares de hereditariedade, que hoje em dia são conhecidas como genes, e estudou a transmissão dessas características hereditárias tanto no reino vegetal quanto no reino animal. É considerado nos dias de hoje como o pai da genética.

Gregor Mendel

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS