O pós-guerra e Nutella

0
10

Durante a Segunda Guerra Mundial, o chocolate era artigo de luxo na Europa, devido ao racionamento do cacau imposto pelo conflito, já que todos os navios mercantes deveriam estar a serviço da guerra. No recente pós-guerra de 1944, a situação não tinha melhorado muito na Itália.

Foi então que o confeiteiro italiano da região do Piemonte, no norte do país, Pietro Ferrero, resolveu criar uma pasta feita de avelã e chocolate, que chamou de “Crema Gianduja”, que depois seria modificada para se tornar a “Supercrema Gianduja”. A avelã era comum no Piemonte, sendo portanto de fácil acesso e barata. Um quilo de chocolate puro custava cerca de seis vezes mais do que um quilo da “Supercrema Gianduja”. O produto começou a ser comercializado em 1962, e no ano de 1964 o filho de Pietro, Michele Ferrero, decidiu popularizar o produto para atingir o mercado europeu, alterando a embalagem, alguns ingredientes do produto e colocando o nome “Nutella” que todos conhecemos hoje.

O produto fez sucesso e hoje é famoso por todo o mundo – o que poucos conhecem é a sua origem e sua estreita ligação com a Segunda Guerra Mundial.

 

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS