O Príncipe Dom Pedro Augusto de Saxe-Coburgo e Bragança

0
55

Nasce o Príncipe Dom Pedro Augusto de Saxe-Coburgo e Bragança no dia 19 de março de 1866 em Palácio Leopoldina.

O Príncipe Dom Pedro Augusto Luís Maria Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Saxe-Coburgo e Bragança nasceu no Palácio Leopoldina, em 19 de Março de 1866 às 16 horas e 10 minutos. Era filho da Princesa Dona Leopoldina, Duquesa de Saxe e de seu marido o Príncipe Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota, Duque de Saxe. Seu nascimento, por ser o primeiro neto do Imperador Dom Pedro II, foi seguido por salvas de canhões das fortalezas e dos navios. O Príncipe do Brasil e de Saxe-Coburgo-Gota foi batizado dia 4 de Abril na Capela Imperial, tendo como padrinhos o próprio avô Dom Pedro II e a bisavó Dona Maria Amélia das Duas Sicílias, Rainha Consorte da França.

A infância do Príncipe foi passada entre a Europa e o Brasil, passando a residir oficialmente no Brasil com o falecimento de sua mãe, sendo educado no Imperial Colégio Pedro II. Foi bacharel em Ciências e Letras em 1881 e Engenharia Civil pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro em 1887, além disso, Dom Pedro Augusto era renomado mineralogista, membro do Institut de France.

O Príncipe era alcunhado com “O Predileto” por ser o neto mais próximo do Imperador Dom Pedro II e era tido como herdeiro presuntivo do Trono devido a dificuldade de sua tia, a Princesa Isabel, ter um herdeiro. Com o nascimento de seu primo, Dom Pedro de Alcântara, o Príncipe do Grão-Pará, ele ficou frustrado e iniciou uma campanha política para retirar a Princesa Imperial e seus primos da sucessão, sendo tido como o “Príncipe Conspirador” criou uma corte paralela no Palácio Leopoldina.

Apesar de sua popularidade e de até certo apoio para sucessão do Trono, não foi feito o herdeiro direto e foi desacreditado. Com o exílio da Família Imperial em 1889 e a morte de seu avô Dom Pedro II em 1891, que o abalou profundamente, o Príncipe, cuja condição psíquica, que não era boa desde o nascimento de seu primo, piorou. Dom Pedro Augusto atacou o capitão do navio que o levava para o exílio, tinha manias de perseguição e acreditava que seria fuzilado pelos republicanos, tentou suicídio em 1893, chegou a ser tratado por Freud e por fim passou seus últimos 40 anos internado em um sanatório em Viena, falecendo em 7 de Julho de 1934 sem herdeiro e sem nunca ter casado.

Imagem: “Príncipe Dom Pedro Augusto de Saxe-Coburgo e Bragança”, 1888, arquivo de Dom Carlos Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS