A Primeira Frota

0
36

Do inglês “The First Fleet”, A Primeira Frota é o nome – um tanto glorioso – pelo qual é tratada a frota – não tão gloriosa – composta por onze navios que levou o primeiro grupo de colonizadores às terras da Oceania que hoje chamamos de Austrália. Contemos tudo do início: A Inglaterra sempre teve dificuldades em abarcar todos os seus presos em suas prisões, geralmente abarrotadas. Quando são fundadas as Treze Colônias, o Reino Unido passa a enviar para lá diversos de seus condenados, abrindo espaço para que eles pudessem encarcerar mais criminosos, e criando as chamadas “colônias penais”. Mas, com o fim das Treze Colônias e a independência dos Estados Unidos da América (como as colônias gostariam de se chamar após a Guerra de Independência Americana), as terras norte-americanas já não são propícias a abarcar os prisioneiros. Então, graças às viagens de James Cook, chamado “O Pai da Oceania” (mais informações sobre ele na nossa foto de perfil), a Austrália se torna um bom local para tal finalidade, e é planejado que se forme uma colônia britânica nas terras de Nova Gales do Sul, reclamadas para a Coroa assim que atestou ter descoberto aquela região. A 13 de Maio de 1787, as embarcações zarpariam da ilha da Grã-Bretanha, aproveitando-se dos ventos e das correntes marítimas comumente usadas pelos navegadores mercantis para, seguindo a sudeste, aportar na cidade do Rio de Janeiro, chamada pelos motivos supracitados das boas condições de navegação de “esquina do mundo”, onde abasteceriam seus estoques de água fresca, frutas e carnes. Após a parada, cruzariam o Atlântico Sul e encontrariam porto seguro na Cidade do Cabo, na África do Sul, outro famoso ponto de parada obrigatório em qualquer viagem que objetivasse a chegada às Índias, ou, como no caso, às novas terras oceânicas descobertas por Cook. Os infelizes condenados a viver na ilha eram os mais variados criminosos: de assassinos e estupradores a ladrões de galinha, entre homens, mulheres e crianças. Alguns tinham penas de cinco ou dez anos, e acabaram cumprindo prisão perpétua, visto que era quase impossível sair dali. Entre os dias 18 e 20 de Janeiro de 1788 ( o Navio de Sua Majestade [HMS] Supply chegaria no dia 18, o Scarborough, o Friendship e o Alexander no dia 19 e os demais no dia 20), a frota chegaria a Botany Bay (Baía Botânica, em tradução livre), assim nomeada por James Cook quando alguns dos seus acompanhantes na viagem descobrem na costa da baía diversos novos espécimes da exótica flora australiana. Não vendo o lugar como propício à formação de uma colônia, ruma mais a Norte, aportando e desembarcando os colonizadores em Port Jackson – o primeiro nome dado à hoje Baía de Sidney. Então, onde hoje fica a cidade de Sidney, capital do estado australiano de Nova Gales do Sul, seria formada a primeira colônia, que viria a ser a porta para o desbravamento das ricas terras da Austrália. Até a descoberta do ouro nas terras australianas, no século XIX, a gradual colonização de seu território se deu desta forma, pelo envio da escória da sociedade britânica por meio de navios para lá. Porém, após isto, o número de imigrantes voluntários europeus cresceria exponencialmente, visto que estes antes arriscavam a vida indo participar da Marcha Para o Oeste nos Estados Unidos da América, e agora pretendiam tentar a vida no Hemisfério Sul e no Oriente (literalmente, o fim do mundo conhecido à época). A partir de onze navios e pouco mais de mil prisioneiros, nasceria a nação que hoje chamamos de Austrália. “Avance a justa Austrália!”.

IMAGEM= A Primeira Frota adentrando a Baía de Sidney, em 26 de Janeiro de 1788, em litografia a cores feita por E. Le Bihan no ano de 1888. Le Bihan é famoso por suas obras retratando as terras australianas. Obra digitalizada disponível na Biblioteca de Nova Gales do Sul, donde retiramo-la.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS