As Colunas de Hércules

0
98

Cumprindo um de seus doze trabalhos, o semideus Hércules (ou Héracles) teria de enfrentar um estreito de mar, e não tinha tempo para tal. Então, usando-se apenas de sua própria força, separou a terra de ambos os lados do estreito, alargando-o e mudando o próprio formato do mapa múndi. É assim que a lenda explica a existência do Estreito de Gibraltar, faixa de mar entre o extremo oeste do Mar Mediterrâneo e o leste do Oceano Atlântico. Héracles, ainda segundo o mito, teria emoldurado duas grandes colunas para manter a terra onde ele a colocara. A partir desta lenda e das histórias, a Europa temeria ultrapassar com seus navios o estreito. Os fenícios, dizem pesquisadores, o ultrapassaram diversas vezes, em busca de matérias primas para os produtos que costumavam confeccionar e vender aos egípcios, mas depois disto, demoraria séculos até que o “tabu” do “Non Terrae Plus Ultra” (Não Há Terras Mais Além) fosse quebrado, com Cristóvão Colombo chegando às “Índias Ocidentais”, ou, como chamamos hoje, à América! O Rei Carlos I de Espanha, mais conhecido como Carlos V do Sacro Império Romano-Germânico, adotaria o lema “Plus Ultra” (Mais Além) para si, e desde então o Reino de Espanha manteria este como seu lema oficial. Mais além, o Império Colonial Espanhol dominaria os sete mares, e todos os cantos dos novos mundos para os europeus conheceriam a flâmula espanhola. As Colunas de Hércules são os suportes do Brasão de Armas oficial da Espanha, e uma faixa em que está escrito “Plus Ultra” circunda ambas as colunas.

Outra história que envolve as Colunas: a criação do símbolo do cifrão ($). O general muçulmano Táriq-ibn-Ziyád, governador da cidade marroquina de Tânger, partindo com tropas islâmicas rumo à conquista da Península Ibérica (na qual teria sucesso), toma um caminho muito tortuoso e árduo, terminando com a passagem pelas Colunas de Hércules. Assim, quando chegou ao Sul da atual Espanha, à época dominada por visigodos, sentiu-se maravilhado com a persistência de seus homens frente aos desafios da longa viagem, e mandou que se cunhassem moedas comemorativas, com um “S” simbolizando a longa marcha até que se chegasse ali, e com duas colunas “II” representando as famosas Colunas de Hércules, que ele ultrapassara.

Hoje, dia 22 de Novembro de 2014, o Rei Juan Carlos da Espanha completaria 39 anos de reinado, caso não tivesse abdicado do trono espanhol em favor de seu filho, Filipe VI da Espanha, o atual rei, no dia de 19 de Junho deste ano. Ele foi o primeiro Rei de facto da Monarquia restaurada dos Bourbon na Espanha, após a Guerra Civil Espanhola e a ditadura de Francisco Franco. Aqui fica a homenagem do blog, com este post sobre a História da Espanha neste tão importante dia para a história do país.

“Viva Espanha!

Levantai os braços filhos do povo espanhol

Que volta a ressurgir”

IMAGEM= Monumento às Colunas de Hércules, no território ultramarino britânico de Gibraltar.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS