Governantes extremamente insensíveis, radicais de Direitos Humanos

0
3

No país onde mais se assassinam policiais também é o local onde a sua Câmara de Deputados faz audiência para analisar a letalidade policial. Parece que ser parte da segurança pública brasileira é estar fadado a só tomar na cabeça.

Quando o 2º helicóptero foi derrubado por traficantes no Rio eu fiz um vídeo apelando ao Presidente Temer que enviasse ao Congresso um pacote de medidas para garantir uma retaguarda jurídica para a polícia de fato poder trabalhar usando a energia se necessário fosse. Nada foi feito, nada mudou.

Hoje perdemos mais um guerreiro e ao que parece nada mudará. Projetos de lei existem aos montes no Congresso, mas efetivamente nada é pautado, tudo segue como os direitos humanos preconizam. O que queremos é apenas a mudança da política (se é que há uma) de segurança pública para que esse tipo de situação não persista. 

Três pessoas foram mortas a tiros e outra ficou ferida em um assalto a uma padaria localizada na Rua do Babaçu, no Setor Jardim dos Buritis, em Aparecida de Goiânia, na tarde deste sábado (13).

Entre as vítimas está o cabo de Rondas Ostensivas Tático-Móvel (Rotam) da Polícia Mlitar (PM) do Distrito Federal,  Luciano Pereira dos Santos, de 39 anos, que estava no estabelecimento, e a funcionária da padaria,  Eduarda da Silva Galvão, de 18.

De acordo com a PM, tudo começou quando dois assaltantes chegaram ao estabelecimento para roubar a moto de um dos clientes. Na ação, a dupla abordou o policial, que estava sem farda. Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que o PM reage e consegue segurar o braço de um dos criminosos.

Houve luta corporal e os dois caíram no chão. Enquanto isso, um comparsa sacou um revólver e disparou contra o policial várias vezes. Um outro militar, que também estava à paisana, percebeu a ação dos assaltantes, sacou uma arma e atirou contra os suspeitos.

Durante o confronto, os tiros acabaram atingindo também a funcionária da padaria, que não resistiu aos ferimentos. O assaltante que abordou o policial também morreu no local. O comparsa foi baleado pelo outro militar, mas conseguiu fugir do local, levando a arma do PM.

A PM do Distrito Federal publicou uma nota no site da corporação lamentando o ocorrido, e manifestou “forte consternação e tristeza pela forma trágica e lamentável” da morte do policial. O caso está sendo investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil de Aparecida de Goiânia.

Leia a nota na íntegra:

“É com imenso pesar que a Polícia Militar do Distrito Federal comunica a morte do cabo Luciano Pereira dos Santos, matrícula 73.845/X, lotado na Rotam. Ele foi vítima de latrocínio, na tarde deste sábado (13), em uma padaria, no Setor Jardim dos Buritis, em Aparecida de Goiânia/GO.

Segundo informações preliminares, a dupla de assaltantes chegou à padaria e abordou o cabo Luciano. Houve luta corporal e o policial foi atingido. No tiroteio, uma funcionária da padaria também foi alvejada. Um outro militar, que também estava no local, sacou a arma e revidou os disparos, atingindo os criminosos.

Infelizmente o cabo Luciano não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local. A funcionária do estabelecimento e um dos criminosos também morreram.

A notícia da morte do cabo Luciano provocou forte consternação e tristeza pela forma trágica e lamentável. A perda não é somente para a corporação, família e amigos, mas para toda a sociedade.

Informações sobre o velório serão divulgadas posteriormente.”

Meus sentimentos aos familiares do CABO ROTAM PMDF LUCIANO PEREIRA DOS SANTOS (foto) , 39, e EDUARDA DA SILVA GALVÃO, 18, ambos assassinados no mesmo latrocínio.

 

Assista ao vídeo:

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS