Nasce o Príncipe Dom Luís Maria de Orléans e Bragança

Nasce o Príncipe Dom Luís Maria de Orléans e Bragança no dia 26 de janeiro de 1878 em Palácio Imperial de Petrópolis.

O Príncipe Dom Luís Maria Filipe Pedro de Alcântara Gastão Miguel Rafael Gonzaga de Orléans e Bragança nasceu no Palácio Isabel em Petrópolis em 26 de Janeiro de 1878, segundo filho da Princesa Imperial do Brasil Dona Isabel e do Príncipe Gastão de Orléans, Conde d’Eu.

Dom Luís Maria era tido como um aluno aplicado, brilhante com aptidão às Letras e muito centrado. Acompanhou seus avós, junto com Dom Pedro Augusto, na última viagem que o Imperador Dom Pedro II faria à Europa. O Príncipe, seguindo os passos de seu irmão e de seus primos, ingressou na Academia Militar de Wiener Neustadt do Exército Austro-Húngaro.

O Príncipe muito ativo era praticante de alpinismo tendo escalado o Mont Blanc em 1896, fez ousadas excursões ao sul da África, à Ásia Central e à Índia.

Tornou-se Príncipe Imperial do Brasil com a renúncia de seu irmão em 1908 e logo após casou-se. Como Príncipe Imperial teve sucesso em ações para retomar a campanha da causa monárquica, causando furor inclusive no Congresso Nacional.

O Príncipe era conhecido como “O Príncipe Perfeito” e defendia como ativista o federalismo, o serviço militar obrigatório e uma melhoria na qualidade de vida dos operários. Impedido de lutar no Exército Francês durante a Primeira Guerra Mundial, assim como seu irmão mais novo Antônio, alistou-se em 1914 no Exército Britânico, lutando bravamente até 1915 quando combatendo nas trincheiras de Flandres, Dom Luís contraiu um tipo agressivo de reumatismo ósseo que o deixou em estado grave debilitado e incapaz de andar.

Por sua bravura no campo de batalha O Príncipe Imperial recebeu Medalha Militar do Yser, pelo Rei Alberto I da Bélgica, a Legião de Honra, no grau de cavaleiro e a Cruz de Guerra, pelo governo francês e pelo Reino Unido a British War Medal e a Victory Medal e Star.

Imagem: Príncipe Dom Luis Maria, Carl Pietzner, 1873, acervo do Museu Imperial.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS