A Operação Overlord – ou Batalha da Normandia, conhecido como o Dia D

0
23

A Operação Overlord – ou Batalha da Normandia -, mais emblemático combate da Segunda Guerra Mundial, começou no dia 6 de junho de 1944, data que ficou conhecida como o Dia D. Para conter o exército alemão, que dominava quase todo o continente europeu, os aliados apostaram em uma invasão usando a Inglaterra como base, com o objetivo de retomar a região da Normandia, litoral da França. Para os alemães, essa estratégia era previsível demais. Hitler imaginava que eles viriam por Pás-de-Calais, o local em que o Canal da Mancha é mais estreito. Errou. A Operação Overlord, que marcou o início da derrota do Terceiro Reich, foi a mais espetacular ação militar de todos os tempos. Envolveu 3 milhões de soldados, 5339 embarcações, 11 mil aviões e 15 mil tanques e veículos blindados. Morreram 80 295 soldados alemães, 34 417 soldados aliados e 12 850 civis franceses.

O Dia D.

O dia D foi o golpe fundamental para a derrocada do poder nazista.

Grandes navios de guerra, dirigíveis, caminhões e botes ilustram uma cena da chegada das tropas aliadas à Normandia, no dia 6 de junho de 1944, que ficou conhecido como o Dia D.

 Desembarque na Normandia.

O dia 6 de junho marca a data em que, em 1944, milhares de soldados norte-americanos, britânicos, canadenses e franceses, em sua maioria, desembarcaram na costa francesa da Normandia e participaram da maior invasão marítima já registrada na história militar. O Desembarque na Normandia, chamado de Dia D, liderado pelos Estados Unidos e seus aliados, deixou um rastro de jovens soldados mortos e marcou o início da derrocada de Hitler e de seu sonho nazista. Onze meses depois, chegaria ao fim a Segunda Guerra Mundial. Nesta foto, soldados dos EUA chegam à praia de Omaha, na região de Vierville-sur-Mer.

Dia D, uma das maiores operações militares da história.

Por que a data foi chamada de Dia D?

O ‘D’ em Dia D é um apenas um código de uso militar ao planejar um evento, assim como “Hora H”.

Os detalhes da invasão começaram a ser planejados antes que os militares soubessem a data em que o plano aconteceria.

A fim de organizar o andamento do ataque, como quando os navios e tropas deveriam deixar a Inglaterra, eles se referiam ao momento como “D-Day“.

Por exemplo: ‘Capitão Smith vai zarpar no Dia D menos um’. Então, tudo o que o Capitão Smith tinha de fazer era esperar até que alguém lhe dissesse a data do Dia D, e ele deveria embarcar para a França um dia antes.

Na verdade, a Operação Overlord estava programada para o dia 5, mas teve de ser cancelada devido ao mal tempo.

Como conseqüência, as tropas ficaram presas no mar no meio da tempestade por mais de 2 dias. Enquanto isso, os oficiais tentavam controlar o enjôo causado pelo mar agitado e fazer o pouco que podiam para manter o moral e preparar-se para o combate.

O nome Dia D é usado para muitas operações militares, mas agora está firmemente associado com a invasão da Normandia.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS