Rodrigo Maia encerra sessão da Câmara minutos após notícia sobre áudio de Temer

0
6
PLENARIO1 BSB DF 22 11 2016 NACIONAL RODRIGO MAIA/ONYX O relator do projeto que estabelece as dez medidas contra a corrup‹o na C‰mara, deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), conversa com o peresidente da Camara dos Deputtados, Rodrigo Maia, no plenrio da Camara. .FOTO DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Segundo ‘O Globo’, dono da JBS, Joesley Batista, gravou conversa com presidente na qual foi discutido silêncio de Eduardo Cunha.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerou a sessão desta quarta-feira (17) minutos após o site do jornal “O Globo” publicar reportagem segundo a qual o dono da JBS, Joesley Batista, gravou conversa com o presidente Michel Temer na qual foi discutido o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Até a última atualização desta reportagem, Temer não havia se pronunciado sobre o assunto.

Maia encerrou a sessão no momento em que o plenário discutia uma medida provisória que trata do repasse de recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) a estados e municípios.

No caso do Senado, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), também encerrou a sessão alguns minutos após a notícia ter sido veiculada por “O Globo”, mas, diferentemente do que ocorreu na Câmara, a sessão terminou logo após a conclusão da análise de um projeto.

Câmara

Ao deixar o plenário da Câmara, Rodrigo Maia foi questionado sobre os motivos de ter encerrado a sessão e disse que não havia mais “clima”. “Não tem mais clima para trabalhar”, afirmou.

Maia disse ainda: “Tem que ver primeiro o que é”. Na sequência, emendou: “Estamos tratando disso”. Sobre se o caso é grave, concluiu: “Pode ser”.

Antes de Rodrigo Maia encerrar a sessão, houve tumulto no plenário, a oposição pediu o fim da votação da medida provisória e houve gritos de “Fora, Temer!”.

Senado

No Senado, assim que a notícia sobre o áudio de Temer foi publicada, Eunício Oliveira continuou com a sessão.

Enquanto um projeto era analisado de forma simbólica (sem contagem de votos), porém, vários senadores liam, por meio dos celulares, a reportagem do jornal “O Globo” e se revezavam na tribuna para repercutir o assunto.

Fonte – G1 / O Globo

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS