Atriz Juliana Paes exalta “Bibi Perigosa”, a personagem criminosa que ela interpreta

0
32

É torturador ver como esses artistas e intelectuais engajados, que vivem numa bolha, isolados do mundo real, endeusam tudo o que não presta. Principalmente quando se trata de personagens vis.

Desta vez, foi a atriz Juliana Paes ao declarar sua admiração pela criminosa “Bibi Perigosa”, dizendo que ela é RAÇUDA e corajosa.

A personagem de novela, que é baseada em uma pessoa real, trafica, pega em armas e está completamente inserida no crime do Rio de Janeiro. Estes são atributos de alguém que não merece nenhum tipo de admiração ou memória, mas para a classe artística do Brasil, “Bibi Perigosa” é um mito, um exemplo a ser seguido.

Se formos ver pelo significado convencional na sociedade, ser raçudo é ser persistente, ser disciplinado ou obstinado. Ou seja, vemos aqui somente bons atributos de pessoas que, em regra, fazem o bem. Mas não é assim que a classe artística vê. Esta classe submergida no mundo gramsciano, que idealiza a exaltação dos bandidos e outros subversivos, é a traficante a raçuda.

Para nós, raçuda, é a pessoa que sai de casa antes do amanhecer a fim de trabalhar, estudar, para depois então voltar a casa já na noite.Raçudo é ter que andar pela rua agarrado aos seus pertences, com medo de ser roubado ou morto por bandidos que sabem que não serão pegos ou, que se forem, não serão punidos.

Raçudo é cortar pouco a pouco todo tipo de lazer, para que no salário caiba todo orçamento básico da família.

Raçudo é viver honestamente no país da impunidade que o crime compensa e ladrões são exaltados.

Juliana Paes interpretando “Bibi Perigosa”
Bibi Perigosa na vida real

Por – Max Brenner

Links:

http://odia.ig.com.br/diversao/2017-07-11/juliana-paes-fala-sobre-a-vida-no-crime-de-sua-personagem-em-a-forca-do-querer.html

Juliana Paes perde o apetite por causa de A Força do Querer

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS