Coreia do Norte constrói seu primeiro submarino de ataque nuclear

0
6

O novo submarino foi detectado pela inteligência norte-americana e identificado como um submarino classe “Sinpo-C”.

A Coreia do Norte está construindo um submarino capaz de lançar mísseis nucleares imitando o sistema de lançamento sigiloso utilizado por potências nucleares avançadas.

Uma fonte do governo dos Estados Unidos disse que o regime comunista estava construindo seu primeiro submarino operacional capaz de transportar e disparar mísseis balísticos intercontinentais, de acordo com a revista The Diplomat.

No entanto, é pouco provável que o submarino seja suficientemente sofisticado a ponto de conseguir evitar sua detecção, dizem analistas.

Uma matéria de 18 de outubro em The Diplomat diz que, segundo fontes, o novo submarino foi detectado pela inteligência norte-americana e identificado como um submarino classe “Sinpo-C”.

Funcionário indonésio da Agência Meteorológica, Climática e Geofísica da Indonésia aponta para um mapa da Coreia do Norte, mostrando onde a agência detectou um terremoto de magnitude 6.2 causado por um teste nuclear realizado na Coreia do Norte em 3 de setembro 2017 (Adek Berry/AFP/Getty Images)

Funcionário da Agência Meteorológica, Climática e Geofísica da Indonésia aponta para um mapa da Coreia do Norte, mostrando onde a agência detectou um terremoto de magnitude 6.2 causado por um teste nuclear realizado na Coreia do Norte em 3 de setembro 2017 (Adek Berry/AFP/Getty Images)

O novo submarino tem propulsão a diesel-elétrica com um deslocamento de 2.000 toneladas e uma manga (largura) de pouco mais de 10 metros.

De acordo com The Diplomat, ele irá transportar pelo menos um ou talvez dois mísseis balísticos.

A matéria se refere à análise de imagens de satélite da semana anterior, que demonstrava que um programa de construção naval estava sendo realizado em um dique subaquático.

Analisando imagens comerciais por satélite, o grupo de campanha 38DegreesNorth detectou a atividade no Estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte ao longo de um período de semanas.

Imagem de satélite mostra a instalação onde se acredita que um submarino esteja sendo construído, no estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte (Imagens de satélite fornecidas por Planet e analisadas pelo grupo 38DegreesNorth)

Imagem de satélite mostra a instalação onde se acredita que um submarino esteja sendo construído, no estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte (Imagens de satélite fornecidas por Planet e analisadas pelo grupo 38DegreesNorth)

 

Imagem de satélite mostra a instalação onde se acredita que um submarino esteja sendo construído, no estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte (Imagens de satélite fornecidas por Planet e analisadas pelo grupo 38DegreesNorth)

Imagem de satélite mostra a instalação onde se acredita que um submarino esteja sendo construído, no estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte (Imagens de satélite fornecidas por Planet e analisadas pelo grupo 38DegreesNorth)

 

Imagem de satélite mostra a instalação onde se acredita que um submarino esteja sendo construído, no estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte (Imagens de satélite fornecidas por Planet e analisadas pelo grupo 38DegreesNorth)

Imagem de satélite mostra a instalação onde se acredita que um submarino esteja sendo construído, no estaleiro Sinpo South da Coreia do Norte (Imagens de satélite fornecidas por Planet e analisadas pelo grupo 38DegreesNorth)

O novo submarino parece ser o irmão mais velho daquele que a Coreia do Norte chama de submarino classe Gorae, mas que os Estados Unidos classificam como classe Sinpo-B. Esse submarino foi detectado por satélite em 2014.

O Gorae desloca 1.700 toneladas e é o único submarino norte-coreano capaz de lançar mísseis balísticos Pukguksong-1, um tipo de míssil de dois estágios com alcance estimado de 1.200 quilômetros.

Um relatório do Departamento de Defesa dos Estados Unidos disse que a Coreia do Norte tem 70 submarinos, uma das maiores frotas do mundo. No entanto, essa frota constitui-se de relíquias russas da era da Guerra Fria, dizem analistas.

Ditador Kim Jong-un e outras autoridades comunistas em local desconhecido da Coreia do Norte nesta foto publicada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte

Ditador Kim Jong-un e outras autoridades comunistas em local desconhecido da Coreia do Norte nesta foto publicada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte

“Esses submarinos são de quatro gerações atrás e facilmente detectáveis até mesmo pelos sensores antisubmarinos mais básicos”, escreveu Kyle Mizokami, especialista em defesa e segurança nacional, para o The National Interest.

Esses submarinos estiveram envolvidos em uma série de incidentes e acidentes nas últimas décadas, sugerindo problemas com a frota envelhecida.

A Coreia do Norte recorreu à construção de seus próprios submarinos, mas até agora ainda não lançou um submarino operacional capaz de disparar mísseis balísticos intercontinentais que são necessários para lançar um ataque nuclear.

Sem a experiência e a tecnologia das grandes potências militares mais avançadas, é improvável que a Coreia do Norte seja capaz de construir um submarino que possa escapar da detecção. O novo submarino também é vulnerável porque sua localização é conhecida.

Kim Jong-un, ditador da Coreia do Norte, reforçou o programa nuclear do país desde que assumiu as rédeas do Partido Comunista e a ditadura de seu pai em 2011.

Kim realizou 85 testes de mísseis balísticos desde que chegou ao poder, muito mais do que seu pai e seu avô juntos.

Em uma declaração divulgada pela mídia estatal na semana passada, a Coreia do Norte afirmou que “está se movendo em direção ao objetivo final de ‘arredondar’ a força nuclear do estado”.

“Nada pode quebrar a fé invencível e a vontade indomável do exército e do povo da República Popular da Coreia de chegar ao objetivo de alcançar a força nuclear do Estado sem hesitação, apesar das muitas dificuldades e provações”, diz o comunicado.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS