Crítica do filme – Desarmados

Desarmados é um documentário do diretor Lion Andreassa sobre o Estatuto do Desarmamento. Foi lançado em maio de 2017 para colocar o dedo na ferida desse polêmico e relevante tema.

O documentário aborda os principais pontos ligados ao desarmamento: seu histórico, aspectos legais, jurídicos e religiosos, além do biológico (instinto de sobrevivência), político e sociológico. As minorias foram ouvidas sobre o assunto e os especialistas trouxeram informações lastreadas em números e fatos, ou seja, sem qualquer tipo de ideologia.

O entrevistador é o ator Taiguara Nazareth que faz as perguntas chave para os diversos entrevistados.

Do ponto de vista histórico, Antonio Canto, descendente da civilização Maia, explica como civilizações antigas, como os Maias, sobreviveram graças às armas.

Boa parte das perguntas são respondidas também pelo especialista em segurança, Benedito Gomes Barbosa Jr, que é já famoso por desmascarar muitas mentiras midiáticas e sensacionalismo barato, geralmente deixando seus adversários sem resposta.

Ainda do ponto de vista histórico, o especialista em história da Segunda Guerra Mundial, Jairo Junqueira Filho, explicou como os regimes ditatoriais se revelaram após desarmar a população e como isso configura um padrão, tanto no nazismo de Hitler quanto no comunismo desde a União Soviética, passando por Fidel Castro até os dias atuais.

O documentário também retrata como PT e PSDB se uniram para conseguirem o desarmamento, como Fernando Henrique Cardoso ignorou a legítima defesa em busca por uma cadeira na ONU e ainda alerta para as mentiras da mídia com pesquisas falsificadas, combatidas diuturnamente.

Do ponto de vista legal o Cel. Jairo Paes de Lira explicou a dificuldade de adquirir uma arma de fogo, tornando quase impossível o cidadão exercer seu direito de defesa da vida.

O professor de filosofia e sociologia Paulo Cruz também expôs visões importantes e ratificou que o resultado do estatuto foi o crescimento dos homicídios com armas de fogo.

Minorias como LGBT foram ouvidas também. O ativista e blogueiro Clóvis Júnior expôs como se sente e como o Estatuto afeta essa minoria.

Entre os pontos de vista mais interessantes, considerei as visões religiosas do pastor Roberto Cruvinel e do líder muçulmano Sheikh Abdel Hamid Metwally, que muito me surpreenderam.

Em termos técnicos a fotografia é excelente. Ela ajuda a narrar a história com equilíbrio e sensatez. A música de Seraphus (compositor croata) foi uma escolha sensacional. A edição é um ponto relevante e positivo, pois intercalou imagens com música e voz, potencializando a ilustração das informações expostas.

Também me surpreendeu muito o talento de Taiguara Nazareth, cujo trabalho eu pouco conhecia. Com tranquilidade e postura, ouviu ponderadamente, entrevistando um a um.

Por fim, a direção foi feita com maestria, já que o documentário conseguiu atingir seu principal objetivo: informar a sociedade sobre o tema.

O documentário não contou com lei de incentivo, foi produzido em parte com recursos de captados via financiamento coletivo (crowdfunding) e parte com investimento da Lumix Art Films.

Em qualidade o documentário é superior aos do History Channel.

Eu honestamente acredito que a segurança pública é hoje o principal problema político e social do país, dadas as alarmantes e crescentes estatísticas de violência.

Se a pergunta inicial era: “Quais os resultados efetivos do Estatuto do Desarmamento?”, a resposta com certeza está nesse documentário.

Uma nota 10 é justa, seguida de uma forte recomendação minha para quem se interessa pelo tema.

É possível assistir o filme no NET Now (canal 1 on demand da NET), no YouTube em alta resolução (link abaixo) ou no Vimeo.

Ficha técnica:

Filme / Ano Desarmados / 2017
Produção Lion Andreassa – Lumix Art Films
Direção Lion Andreassa, Fyyrio Hemeh
Roteiro Lion Andreassa, Fyyrio Hemeh
Fotografia Lion Andreassa
Música Seraphus (compositor croata)
Edição Fyyrio Hemeh
Elenco Taiguara Nazareth
Receita 144% do investimento
COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
RECEBA O MELHOR CONTEÚDO DO CONSERVADORISMO DO BRASIL DE GRAÇA PELO FACEBOOK? CLIQUE EM CURTIR!

COMENTÁRIOS

Ricardo Roveran

Cristão, conservador, crítico de cinema, literário e musical, estudante de filosofia, colunista deste site e de outros.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com