Desejo de Natal de Trump: ‘Conseguimos prosperidade. Agora queremos paz’

0
9

Na véspera do Natal, o presidente estadunidense Donald Trump atendeu telefonemas de crianças, perguntando o que elas mais queriam do Papai Noel e revelando o que estava em sua própria lista de desejos.

Um menino queria blocos de construção. Outra criança desejava que sua avó saísse do hospital. E quanto a Trump, ele disse que queria “paz para o país”.

“Conseguimos prosperidade. Agora queremos paz”, disse Trump a uma criança chamada Ryan, que telefonou para o Comando da Defesa Aeroespacial da América do Norte (NORAD) para verificar o progresso do Papai Noel.

Todos os anos, na véspera de Natal, o NORAD pretende rastrear o voo do Papai Noel e seu trenó de renas, uma tradição desde 1955, quando uma loja de departamento imprimiu erroneamente um número de telefone, resultando numa enxurrada de chamadas sendo atendidas por um coronel do NORAD, que aproveitou para entrar na brincadeira.

Sentado numa cadeira dourada ao lado da primeira dama Melania Trump num salão elegante, o presidente conversou com entusiasmo com os jovens e seus pais. Repórteres na sala só podiam ouvir a conversa do lado do presidente.

Em seu estilo sério-irônico, aguçado durante uma carreira no mundo imobiliário de Nova York, Trump previu que as crianças teriam o melhor Natal de todos os tempos.

“Eu farei uma previsão, o Papai Noel vai tratá-lo muito bem. Muitíssimo bem. Melhor do que ele já tratou antes”, disse Trump a uma criança do Mississippi, aproveitando para convidá-la para visitar o Salão Oval na Casa Branca no futuro.

Casper de Arlington, Virgínia, foi uma das crianças que cativou Trump. “Blocos de construção! Eu também sempre gostei disso”, exclamou o presidente.

“Eu prevejo que o Papai Noel irá trazer-lhe os blocos de construção, tantos que você não poderá usá-los todos”, disse ele.

Quanto a Ryan, ele disse a Trump que queria que sua avó voltasse do hospital.

“Isso é ótimo. Isso é melhor do que pedir um brinquedo ou algo do tipo”, disse Trump.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS