Nova lei impede pedófilos de deixarem Austrália

“Aqueles feriados de abuso sexual infantil para australianos desviados estão acabados.”

Um criminoso sexual condenado foi interrompido no aeroporto de Sydney quando tentava deixar a Austrália no dia em que as novas leis sobre o turismo sexual infantil entraram em vigor.

Julie Bishop, a ministra australiana das relações exteriores, disse na quarta-feira, 13 de dezembro, que a detenção era prova de que a lei era eficaz, mas deu poucos detalhes sobre o homem detido.

“O homem está atualmente sendo entrevistado pela polícia federal, então não quero entrar em mais detalhes”, disse Bishop, informou The Australian.

“Eu não desejo prejudicar a entrevista, mas ele foi parado aqui no portão inteligente por causa dessas leis, porque seu nome consta na lista de vigilância”, disse ela.

Uma declaração conjunta de Bishop e do ministro da justiça Michael Keenan disse que as novas leis destinam-se a evitar que os infratores sexuais infantis registrados viajem para o exterior para abusar de crianças.

“Eles também terão seus passaportes cancelados a pedido das autoridades estaduais ou territoriais”, disse o ministro no comunicado.

O governo disse que a Austrália tem conhecimento de cerca de 20 mil infratores sexuais infantis que cumpriram suas sentenças, mas estão sujeitos a obrigações de notificação, que ajudam a proteger a comunidade.

“Por muito tempo, esses predadores viajaram para o exterior, não detectados, inclusive em países onde a existências de leis mais fracas significam que eles têm a oportunidade de cometer crimes hediondos”, disseram os ministros no comunicado conjunto.

O governo disse que no ano passado, cerca de 800 infratores sexuais infantis registrados na Austrália viajaram para o exterior. Cerca de 40% o fizeram sem informar as autoridades sobre suas viagens. Isso não será mais o caso, disse o governo.

Os ministros disseram que esta lei é a primeira a abordar o problema.

Um relatório divulgado pela ECPAT International disse que o Sudeste Asiático e alguns países do Sul da Ásia têm sido alvos principais do turismo sexual infantil.

A nova lei foi defendida pelo senador australiano Derryn Hinch.

“Um transgressor sexual infantil condenado [foi] repelido no Aeroporto de Sydney hoje sob [uma] nova lei de proibição de passaporte que eu aprovei este ano. Aqueles feriados de abuso sexual infantil para australianos desviados estão acabados”, escreveu Hinch, uma ex-personalidade de rádio e televisão, numa mensagem de Twitter.

Fonte – Epoch TimesNTD Television

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS