Trump assina histórica lei de reforma fiscal

0
7

Ampla revisão tributária é primeira grande vitória legislativa da gestão Trump.

O presidente estadunidense Donald Trump assinou sua histórica lei de reforma tributária na sexta-feira, 22 de dezembro, cumprindo sua promessa de cortes de impostos antes do Natal.

“Este é a maior reforma e corte de impostos na história do nosso país. É de fato maior do que a do presidente Reagan muitos anos atrás”, disse Trump na Casa Branca em 22 de dezembro.

Para a assinatura do projeto de lei, Trump disse que estava planejando esperar até uma grande cerimônia formal no início de janeiro. Mas depois de assistir às notícias da manhã, ele disse que mudou de ideia.

“Cada uma das redes estava dizendo: ‘Ele cumprirá sua promessa? Ele assinará antes do Natal?’ Então eu imediatamente telefonei e disse, ‘Façamos as preparações.’”

O projeto de lei resultará no corte de US$ 3,2 trilhões em impostos para as famílias americanas, incluindo dobrar a dedução padrão e duplicar o crédito fiscal infantil, disse Trump.

A taxa superior de imposto corporativo será reduzida de 35% para 21%. Isso está abaixo da taxa de imposto corporativa mundial média de 22,5%.

A redução da taxa de imposto corporativa restaurará a vantagem competitiva do país e nivelará o campo de jogo para as empresas dos EUA, de acordo com republicanos e muitos economistas.

Trump agradeceu às empresas que deram as boas-vindas a reforma tributária, incluindo a AT&T, Boeing, Sinclair, Wells Fargo e Comcast. A AT&T foi a primeira empresa que anunciou que investiria US$ 1 bilhão adicional nos Estados Unidos no próximo ano e pagaria um bônus especial de mil dólares para cada um dos seus mais de 200 mil funcionários durante o feriado.

De acordo com o novo plano, as empresas poderão deduzir 100% do custo de seus investimentos de capital no ano em que o investimento for realizado. Esta provisão, que será eliminada em cinco anos, deverá impulsionar os investimentos das empresas no curto prazo.

“Eu acho que isso será um dos principais aspectos da lei, francamente. Acho que as pessoas ficarão absolutamente enlouquecidas sobre [o corte de] suas despesas”, disse Trump.

O Congresso votou a favor da abrangente lei fiscal em 20 de dezembro, preparando o caminho para a maior reescrita do código tributário dos EUA em três décadas.

Os republicanos acreditam que a reforma tributária é uma oportunidade única que reformará um sistema fiscal complexo, dispendioso e injusto que atende a interesses especiais.

Eles culpam o código tributário existente por perseguir as empresas americanas e perder empregos para o exterior. Portanto, eles argumentam que o novo projeto de lei incentivará mais investimentos e criação de empregos no país.

EUA, Trump, reforma fiscal, impostos - O presidente estadunidense Donald Trump comemora a aprovação da lei tributária acompanhado dos membros do Congresso no gramado sul da Casa Branca em Washington, D.C., em 20 de dezembro de 2017 (Charlotte Cuthbertson/The Epoch Times)

O presidente estadunidense Donald Trump comemora a aprovação da lei tributária acompanhado dos membros do Congresso no gramado sul da Casa Branca em Washington, D.C., em 20 de dezembro de 2017 (Charlotte Cuthbertson/The Epoch Times)

Cortar a taxa de imposto corporativa e atrair trilhões de dólares em dinheiro dos EUA estacionado no exterior aumentará o salário médio segundo cálculos conservadores em US$ 4 mil por ano, de acordo com Kevin Hassett, presidente do Conselho de Assessores Econômicos.

A lei fiscal também beneficia as pequenas empresas. Ela oferece uma dedução de 20% para as entidades passivas aplicável ​​aos primeiros US$ 315 mil de renda conjunta. Essa dedução é conferida a todas as entidades passivas organizadas como corporações S, parcerias, LLCs e empresas unipessoais.

Para as pequenas empresas com renda acima de US$ 315 mil, a lei geralmente fornece uma dedução de até 20% sobre os lucros das empresas. A provisão reduz a taxa de imposto marginal efetiva para um máximo de 29,6%. De acordo com o código tributário existente, entidades passivas são tributadas em 39,6%.

“Este aqui é o projeto de lei e estamos muito orgulhosos dele”, disse Trump. “Será uma coisa tremenda para o povo americano. Será fantástico para a economia. Isso prevenirá que as empresas deixarem nossas fronteiras.”

O que os cortes fiscais significam para indivíduos

A lei reduz as taxas de imposto individuais enquanto mantem as sete faixas de imposto existentes. As taxas são fixadas em 10%, 12%, 22%, 24%, 32%, 35% e 37%.

A nova lei reduz as deduções discriminadas para simplificar o código tributário. No entanto, quase dobra a dedução padrão para indivíduos de US$ 6,350 a US$ 12 mil e para casais casados ​​que ganham juntos de US$ 12,700 a US$ 24 mil.

De acordo com os líderes republicanos, esta disposição simplificará a declaração de impostos e permitirá que nove pessoas em cada 10 preencham seus impostos num formulário tão simples que poderia caber num cartão postal. Este próximo 15 de abril será a última vez que os americanos declararão seus impostos sob o código de imposto existente.

A lei expande o crédito fiscal infantil de mil para 2 mil dólares tanto para casais ​​casados ou não que declaram conjuntamente. O crédito tributário será totalmente reembolsável até US$ 1.400, o que significa que o crédito pode ser usado para aumentar ou criar um reembolso de imposto.

O crédito fiscal infantil começa a ser eliminado para famílias com renda superior a US$ 400 mil. De acordo com a lei atual, esse crédito começa a ser eliminado para casais com renda de US$ 110 mil.

Muitas provisões para imposto de renda individual, incluindo o crédito fiscal infantil, expirarão até o final de 2025 e as regras antigas entrarão em vigor a menos que as disposições sejam prorrogadas.

O plano também reduz a dedução para os impostos estaduais e locais (SALT), limitando-a em US$ 10 mil. Isso permite aos contribuintes a opção de escolher entre impostos de compras, renda e de propriedade. Aqueles que se beneficiam mais com as deduções dos SALT são os contribuintes em estados de alta tributação como Nova York, Nova Jersey e Califórnia.

Além disso, a lei permite a dedução de juros de hipoteca para casas recém-adquiridas (primeira ou segunda casa) até US$ 750 mil, que estão abaixo do limite atual de US$ 1 milhão. Também revoga a provisão de mandato individual do ObamaCare, que exige que a maioria dos americanos tenha um nível básico de cobertura de seguro de saúde ou então pague uma penalidade de imposto.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS