Marcas chinesas de alimentos para bebês são reprovadas em inspeção nacional de segurança alimentar

0
13

Oito empresas foram intimadas a melhorar seus procedimentos e cumprir os padrões.

China tem sido sacudida repetidas vezes por escândalos envolvendo marcas domésticas de fórmulas para bebês contaminadas com substâncias perigosas. O caso mais grave ocorreu em 2008, quando dezenas de bebês ficaram doentes ou morreram devido a um alimento contaminado com melamina, substância altamente tóxica.

Quase uma década depois, ainda existe preocupação com a segurança alimentar com relação a muitas das principais marcas chinesas.

Durante vários dias, a Administração de Remédios e Alimentos da China publicou avisos sobre empresas fabricantes de fórmulas para bebês que não passaram na inspeção, as quais foram amplamente difundidas pela mídia chinesa nos dias 21 e 22 de janeiro.

Oito empresas foram intimadas a melhorar seus procedimentos e cumprir os padrões.

A maioria das empresas apresentou problemas com potenciais riscos de contaminação. Por exemplo, em uma filial da Mengniu Dairy, na Mongólia Interior, descobriu-se que a área da fábrica reservada à embalagem e armazenamento de produtos não possuía controles regulares sobre bactérias presentes nas superfícies.

Na cidade de Qiqihar, os empregados da Wissun Dairy reutilizavam equipamentos destinados a testar níveis de aflatoxina (tipo de ferrugem tóxica), provocando risco de contaminação. Os ingredientes que não haviam cumprido os padrões também foram declarados satisfatórios, enquanto a área da fábrica estava infestada de insetos, segundo informou a equipe de inspeção.

Em YeePer Dairy, foram encontrados itens de laboratório armazenados incorretamente, seja em temperaturas mais altas do que os limites recomendados, ou então expostas à luz solar.

Para algumas marcas, como a Guangming Songhe, da Província de Heilongjiang, a Administração de Alimentos da China considerou que o “sistema de monitoramento de segurança alimentar” era inadequado, sem dar mais detalhes.

Bebê passeia dentro do carrinho de compras enquanto sua mãe escolhe leite em pó em um supermercado em Haikou, na província de Hainan, no sul da China, em 7 de agosto de 2013 (STR/AFP/Getty Images)

Bebê passeia dentro do carrinho de compras enquanto sua mãe escolhe leite em pó em um supermercado em Haikou, na província de Hainan, no sul da China, em 7 de agosto de 2013 (STR/AFP/Getty Images)

Em 2008, Mengniu e Guangming estavam entre as marcas que venderam a fórmula de leite contaminada com melamina, uma substância química industrial venenosa. Mais de 300 mil bebês foram afetados, muitos dos quais desenvolveram cálculos renais.

Dois anos depois, descobriu-se que meninas que foram alimentadas com a fórmula infantil da marca Synutra International apresentaram um desenvolvimento sexual prematuro.

Em 2013, tinha-se a suspeita de que um fabricante de leite na cidade de Suzhou misturava uma fórmula de bebê com validade vencida a uma fórmula suíça importada, preocupando os pais quanto aos possíveis efeitos sobre as crianças.

Vitrine mostra latas de leite em pó para bebês em Sydney, Austrália, em 16 de fevereiro de 2016 (Saeed Khan/AFP/Getty Images)

Vitrine mostra latas de leite em pó para bebês em Sydney, Austrália, em 16 de fevereiro de 2016 (Saeed Khan/AFP/Getty Images)

A confiança dos pais chineses nas marcas nacionais de fórmulas para bebês é tão baixa que muitos viajam para o exterior para comprar marcas estrangeiras, causando escassez em Hong Kong e Austrália, entre muitos outros lugares.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS