Presidente de Taiwan alerta contra agressão militar da China

0
4

A presidente taiwanesa Tsai Ing-wen disse na sexta-feira que as ambições militares da China estão se tornando mais evidentes e a tensão entre Taiwan e o continente não deve ser resolvida por meio da força militar.

Tsai tem enfrentado crescente hostilidade da China desde que ela ganhou as eleições no início do ano passado, com a China intensificando seus exercícios militares em torno de Taiwan.

A China suspeita que Tsai, do pró-independência Partido Democrático Progressista, quer que a ilha autogovernada prossiga para obter independência formal, o que é considerado uma linha proibida por Pequim, que considera Taiwan uma província rebelde e um território chinês inquestionável.

“As atividades militares da China não só afetam a situação no Estreito de Taiwan, mas também em toda a Ásia Oriental… Este não é um problema a ser enfrentado sozinho por Taiwan”, disse Tsai a jornalistas.

“Todos os países desta região, que querem viver em paz e com estabilidade, têm um consenso… e a China não pode ignorar isso, que as questões através do Estreito absolutamente não podem ser resolvidas por meio da força militar, mas por meios pacíficos”, disse Tsai durante uma conferência de imprensa enquanto ladeada por dois modelos de aviões de combate.

Tsai, no entanto, disse que sua ilha não seria passiva diante de uma China mais agressiva e beligerante.

“No ano passado, a moral dos nossos militares está melhorando constantemente, o apoio às nossas forças armadas também está aumentando consistentemente. Esta é a coisa mais gratificante desde que me tornei presidente. Eu proclamo solenemente que nosso orçamento de defesa anual crescerá de forma constante dentro de um alcance razoável.”

O Ministério da Defesa de Taiwan advertiu num documento oficial nesta semana que a ameaça militar da China estava crescendo dia a dia, com a força aérea chinesa tendo realizado 16 exercícios perto de Taiwan em torno do último ano.

Pequim diz que os exercícios são rotineiros e que Taiwan deveria se acostumar com eles.

“Vivemos num ambiente geopolítico em rápida mudança; a ambição da China de expansão militar na região está se tornando mais óbvia, como é evidente pelas frequentes atividades aéreas e navais do Exército da Libertação Popular”, disse Tsai.

A China alertou Taiwan contra o “uso de armas para resistir à reunificação” e a mídia estatal da China continental apresentou imagens proeminentes de jatos chineses voando perto da ilha.

Tsai destacou que quer a paz no Estreito de Taiwan, mas se comprometeu a defender a segurança e o modo de vida de Taiwan.

Taiwan está bem equipada com armas principalmente dos Estados Unidos, mas pressionou Washington para que lhes vendesse mais equipamentos avançados.

A democrática Taiwan não tem qualquer interesse em ser administrada por Pequim. O governo de Taiwan acusou Pequim de não entender o que é uma democracia quando a China critica Taipei.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS