Trump negocia libertação de três norte-americanos presos na Coreia do Norte

0
3

Motivo da prisão é desconhecido.

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump disse que estão em andamento negociações para libertar três cidadãos norte-americanos presos na Coreia do Norte.

“Estamos trabalhando diligentemente para recuperar os três cidadãos norte-americanos”, disse Trump em 18 de abril em uma coletiva de imprensa junto com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe.

“Eu acredito que existe uma boa chance de conseguir isso. Estamos tendo um diálogo muito bom”, disse o presidente.

O diretor da Agência Central de inteligência dos Estados Unidos (CIA), Mike Pompeo, visitou Pyongyang em segredo nas últimas semanas e falou sobre o problema com o ditador comunista norte-coreano Kim Jong-un, segundo um membro do alto escalão da administração norte-americana. Trump confirmou a visita de Pompeo.

Os três norte-americanos presos na Coreia são Kim Dong-chul, Kim Sang-duk e Kim Hak-song. Kim Dong-chul está na prisão desde outubro de 2015. Kim-Sang e Kim-Hak foram presos em abril e maio do ano passado, respectivamente.

Kim Sang-duk, também conhecido como Tony Kim, lecionou contabilidade na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang (PUST). Ele foi preso quando tentava embarcar em um avião para deixar o país em 23 de abril do ano passado, informou o jornal The New York Times citando o chanceler da Universidade, Chan-mo Park.

“O motivo da prisão é desconhecido, mas funcionários da PUST me disseram que o fato não está relacionado ao seu trabalho na Universidade”, disse Park. “Ele estava envolvido com outras atividades fora da PUST, como ajudar um orfanato”.

Kim estudou contabilidade na Universidade da Califórnia-Riverside e na Universidade de Aurora. Trabalhou como contador nos Estados Unidos por mais de uma década.

Kim Hak-song também trabalhou na PUST. Não está claro se a prisão dele está relacionada com a de Tony Kim, ocorrida duas semanas antes. De acordo com uma declaração da Universidade, Kim Hak-song estava conduzindo atividades de desenvolvimento agrícola em uma fazenda de pesquisa.

Kim Hak nasceu na China e emigrou para os Estados Unidos na década de 1990. Depois de se tornar um cidadão norte-americano, mudou-se para a China e depois para Pyongyang.

Kim Dong-chul foi sentenciado a 10 anos de trabalhos forçados em abril de 2016. Meses antes de seu julgamento, ele apareceu em uma entrevista para a imprensa do governo para se desculpar por tentar roubar segredos militares.

Em entrevista dada pela Coreia do Norte à CNN, Kim Dong-chul disse que era um cidadão norte-americano naturalizado e que vivia em Fairfax, na Virgínia. Ele afirmou que foi preso em outubro de 2015 durante um encontro com um soldado norte-coreano de quem recebeu dados confidenciais.

Otto Warmbier, cidadão dos EUA, foi o quarto cidadão feito prisioneiro na Coreia do Norte antes de ser libertado no ano passado. Warmbier morreu misteriosamente logo após sua chegada nos Estados Unidos.

Colaborou: Reuters

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS