Obstetra que decapitou bebê em parto é considerada culpada no Reino Unido

0
11

Ginecologista sênior do hospital inglês Ninewells, Vaishnavy Laxman, de 43 anos, foi considerada culpada por má conduta médica pelo Tribunal de Práticas e Serviços Médicos de Manchester. Ela deveria ter realizado uma cesariana de emergência em uma gestante de 30 anos que entrou em trabalho de parto com 25 semanas de gestação, mas após optar por um parto normal, que não evoluiu, ela acabou decapitando o bebê acidentalmente no útero da mãe. O caso aconteceu em 16 de março de 2014. As informações são do Mail Online.

Segundo o Mail, o corpo do bebê desceu sem dificuldade, porém, os braços estavam levantados e as mãos atrás da cabeça, o que exigiu algumas manobras. Ainda assim, a cabeça do feto ficou presa. Diante do sofrimento da mãe, foi administrada uma anestesia geral e, após diversas tentativas, o bebê foi extraído, mas sem a cabeça.

Dois outros médicos realizaram, na sequência, uma cesariana e removeram a cabeça da criança. “A decisão de prosseguir com o parto vaginal representou um fracasso”, avaliou o tribunal.

Ainda segundo o Mail, Vaishnavy Laxman enfrentará outras audiências disciplinares que decidirão se ela será afastada de suas atividades. Ao Tribunal a médica declarou estar perturbada com o ocorrido. “Eu estava tentando entregar um bebê vivo, eu trabalhei duro para isso e não pretendia prejudicar a mãe ou o bebê”, disse. “Lamento muito.”

Fonte – ISTOÉ

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS