Quando um beijo é apenas um beijo — A Bela Adormecida sofre críticas

A Bela Adormecida é amaldiçoada porque seus pais se esqueceram de convidar alguém para seu batismo.

Em “Casablanca”, o maior filme já feito, Dooley Wilson (como Sam) canta: “Você deve se lembrar disso / Um beijo é apenas um beijo / Um suspiro é apenas um suspiro”.

Sarah Hall, de North Shields, na Inglaterra, discordaria. Para ela, um beijo, como o do belo príncipe da Bela Adormecida, ensina a jovens impressionáveis ​​que o contato sexual não consensual é socialmente aceitável.

Ela protestou contra o uso dessa história na escola de seus filhos. De fato, ela gostaria que o conto de fadas fosse mantido longe de crianças pequenas. Em vez disso, ela diz, ele deve ser usado como um “ótimo recurso” para as crianças mais velhas conversarem sobre o consentimento “e como a Princesa pode se sentir”.

Considerando que a princesa não sentiria nada se o príncipe apenas estivesse ali pedindo permissão para ela ainda que inconsciente, o plano de reforma educacional de Hall parece particularmente fútil.

Hall foi muito criticada por aqueles que acham que ela está lidando com trivialidades criticando uma história infantil. Mas ela está certa em pensar que os contos de fadas desempenham um papel importante na maneira como criamos os filhos — eles transmitem valores pró-sociais e são cheios de lições para os jovens. No entanto, sua opinião sobre a Bela Adormecida está tristemente errada.

A Bela Adormecida é amaldiçoada porque seus pais se esqueceram de convidar alguém para seu batismo. O que a história realmente ensina é o valor das obrigações sociais e o poder do amor redentor.

Cinderela não nos diz que a maneira correta de identificar um futuro companheiro é através do tamanho do sapato. Ensina-nos que a vida pode surpreender maravilhosamente e que as circunstâncias opressivas não precisam durar para sempre.

A lenda da Branca de Neve, onde a salvação também é trazida por um beijo, que desaloja um pedaço de maçã envenenada, não é um conto sobre uma jovem que vive em circunstâncias duvidosas com sete mineiros. É uma advertência contra a vaidade e o ciúme.

Hall absorveu a hiper-sexualização da sociedade de hoje e vê um comportamento libidinoso onde não há nenhum.

De fato, um beijo pode significar muito mais coisas do que contato sexual.

Jesus foi traído por Judas, que disse aos policiais que identificaria seu mestre e amigo com um beijo. Europeus e pessoas do Oriente Médio se cumprimentam com beijos na bochecha. Beijos aéreos são a norma nos elegantes saraus de Nova York. Os suaves Romeus mostram seu charme, beijando as mãos de suas amadas. Os ritos da igreja cristã frequentemente incluem o Beijo da Paz. E as mães consolam as crianças que choram com um simples beijo.

Na monarquia constitucional britânica, o soberano assinala a escolha do futuro primeiro-ministro emitindo “um convite para beijar as mãos” no Palácio de Buckingham.

O beijo no final de um casamento denota um rito de passagem onde a noiva e o noivo marcam a formação de uma nova unidade familiar.

Um beijo de um mafioso pode significar que uma bala na cabeça não está muito longe.

Assim, o toque dos lábios pode simbolizar carinho, status social, lealdade, uma trégua, perigo ou, como no caso da Bela Adormecida, a chegada de um salvador.

Não fazemos favor aos nossos filhos quando lemos luxúria e agressão sexual em suas histórias e introjetamos as ansiedades sociais de hoje na literatura infantil.

Existe um perigo real lá fora, mas não vem dos Irmãos Grimm.

Gerry Bowler é um historiador de Winnipeg e membro sênior do Frontier Center for Public Policy.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS