Escambo, a nova moeda de compra na Venezuela

0
13

Um corte de cabelo, um serviço, um trabalho, tudo é passível de ser trocado por outra coisa de maior necessidade.

À medida que vamos conhecendo mais detalhes sobre a realidade da Venezuela, percebemos que a vida do povo venezuelano se torna cada vez mais angustiante.

Outrora uma das nações mais prósperas da América Latina, hoje seu povo recorre ao escambo para sobreviver. O ritmo do socialismo deixou a nação sem suprimentos, sem comida, sem remédios e em um nível de pobreza difícil de imaginar, com uma inflação enorme e um nível de insegurança que está entre os mais altos do mundo.

Trabalhadores da área de saúde exigem salários justos e mais elevados durante protesto contra a falta de medicamentos, suprimentos médicos e más condições dos hospitais em Caracas, em 26 de junho de 2018 (Federico Parra/AFP/Getty Images)
Trabalhadores da área de saúde exigem salários justos e mais elevados durante protesto contra a falta de medicamentos, suprimentos médicos e más condições dos hospitais em Caracas, em 26 de junho de 2018 (Federico Parra/AFP/Getty Images)

 

Pessoas fazem fila para encher garrafões com água da montanha Wuaraira Repano em 13 de junho de 2018 em Caracas, Venezuela, onde a esmagadora crise econômica e política causou escassez generalizada de água, alimentos e medicamentos básicos (Federico Parra/AFP/Getty Images)
Pessoas fazem fila para encher garrafões com água da montanha Wuaraira Repano em 13 de junho de 2018 em Caracas, Venezuela, onde a esmagadora crise econômica e política causou escassez generalizada de água, alimentos e medicamentos básicos (Federico Parra/AFP/Getty Images)

Aos gritos de “escambo, escambo” as pessoas trocam uma coisa por outra para sobreviver no dia-a-dia: peixe por farinha, farinha por legumes, legumes por remédios, carne por qualquer coisa. Um corte de cabelo, um serviço, um trabalho, tudo é passível de ser trocado por outra coisa de maior necessidade.

“Como as provisões de alimentos não chegam, temos de trocar as coisas por peixes com as pessoas que chegam”, disse Fidel Perfecto, que acrescentou: “mesmo os turistas vêm com comida para trocar, porque não temos dinheiro”.

A crise que tomou conta da Venezuela tem chamado a atenção do mundo inteiro e os olhos de muitas organizações mundiais se dirigem implacavelmente para Nicolas Maduro e seu governo, a fim de buscar soluções e acordos que reaproximem o país dos padrões internacionais de governo e direitos humanos.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS