Netflix quer criar séries voltadas à família e abordar temas como a fé, diz executiva

A gigante do entretenimento via streaming Netflix estaria focada em produzir conteúdo direcionado para a família e baseados na fé, segundo a executiva da área de séries originais.

A afirmação aconteceu durante uma entrevista coletiva concedida no Summer Press Tour de 2018 da Television Critics Association, em Beverly Hills, Califórnia, no último domingo, 29 de julho.

“É uma audiência muito importante para nós”, afirmou Cindy Holland, vice-presidente de séries originais da Netflix. Ao longo dos últimos dois anos, a empresa se dedicou à criação de conteúdo próprio por conta do movimento de gigantes do entretenimento, como Amazon, Fox e Disney, de criarem suas próprias plataformas, repetindo o modelo da pioneira.

Essa tendência se intensificou desde que a Disney anunciou a intenção de comprar a divisão de entretenimento da Fox, operação concluída há alguns dias numa transação de US$ 71,3 bilhões. Com isso, todo o conteúdo do estúdio 21th Century Fox, incluindo filmes e séries, estará disponível na futura plataforma da Disney.

Nesse cenário, a Netflix vem criando suas próprias séries, e muitas de suas produções desagradaram o público cristão. Um dos exemplos é o filme A Caminho da Fé, que foi duramente criticado por narrar a história de um pastor que nega a existência do inferno. Há também o caso de uma série em desenvolvimento sobre a adolescência de Jesus, que a produtora já adiantou que “irritará os cristãos“.

Ciente das críticas, a executiva da Netflix promete que tentará agradar esse segmento com suas produções. “[Os conservadores] representam uma porcentagem significativa da população não apenas aqui nos EUA, mas em todo o mundo”, afirmou Holland, acrescentando que ela “cresceu em um lugar que estava imerso nessas tradições”.

“Eu quero fazer ótimas programações para meus primos e suas famílias também. Então, é algo que estamos focados em realmente construir uma robusta lista de programação familiar”, sublinhou.

De acordo com informações da emissora Fox News – que ficou de fora da transação, assim como a rede Fox de TV aberta e o canal de esportes FS1 – a executiva foi pressionada sobre qual tipo de programação os telespectadores podem esperar. Cindy Holland disse que não havia “nada” sobre o que ela pudesse “falar hoje”.

Informações da revista Variety dizem que o diretor financeiro David Wells estimou que a Netflix planeja ter 700 atrações originais em seu portfólio até o fim de 2018. “Vamos continuar adicionando conteúdo – está funcionando, está impulsionando o crescimento”, disse Wells sobre a estratégia de crescimento da empresa durante a Conferência de Tecnologia, Mídia e Telecom do Morgan Stanley em fevereiro.

Fonte – Gospel Mais

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com