Comunismo visa destruir humanidade ao atacar cultura e moralidade

Muitas pessoas são inconscientemente envolvidas nesses movimentos e são levadas a acreditar que estão lutando por uma causa justa

O objetivo final do comunismo é destruir a raça humana e o espectro maligno do comunismo está governando nosso mundo hoje. A única esperança da humanidade é se livrar do veneno do comunismo. Para escapar dessa catástrofe, os povos do mundo precisam retornar à tradição e melhorar a moralidade.

Esta é a mensagem de uma passeata em Washington, realizada em 20 de junho por cerca de 5 mil praticantes do Falun Gong, realizada em decorrência das lições que eles aprenderam ao enfrentar 19 anos de brutal perseguição por um regime comunista.

Em 1999, o Partido Comunista Chinês (PCC) decidiu erradicar o Falun Gong, acreditando que os princípios da prática espiritual tradicional de veracidade, compaixão e tolerância eram antitéticos ao governo ateísta do regime comunista. Os praticantes do Falun Gong foram submetidos a prisões e detenções ilegais, tortura, lavagem cerebral e trabalho forçado. Eles também têm sido usados ​​como fontes vivas para transplantes através da extração forçada de órgãos.

Os estimados 100 milhões de praticantes do Falun Gong na China sofreram o impacto desta perseguição, enquanto praticantes no exterior expuseram os crimes do PCC mesmo estando sob constante pressão dos braços do regime de influência estrangeira na política, negócios, mídia e grupos de interesses especiais.

Através de suas dificuldades e triunfos, os praticantes do Falun Gong aprenderam muito sobre os objetivos não apenas do PCC, mas do comunismo em geral. Eles apresentaram esses objetivos em cartazes carregados por aqueles que participaram do desfile.

O comunismo não visa criar uma utopia, como é comumente acreditado. Seus verdadeiros objetivos são a destruição da moralidade e da religião e a incitação da luta e do ódio entre os povos do mundo.

Isso está ligado ao coração do sistema comunista.

Para muitas pessoas, se elas estão dispostas a ignorar as estimadas 100 milhões de mortes causadas pelo comunismo no último século, elas podem pensar em igualdade, compartilhamento, luta contra a “opressão” e coisas desse tipo. Esses são os pontos da conversa do comunismo: as idéias superficiais que ele mostra às pessoas quando querem reuni-las em direção aos seus objetivos de destruir a moralidade, a tradição e a religião.

Sem moralidade a humanidade é despojada da restrição necessária para manter a harmonia social. O comunismo é capaz de entrar na brecha e fornecer controle social, dominando até mesmo os cantos mais minuciosos de nossas vidas. Sem tradição, as pessoas esquecem sua herança, sua cultura e os modos de vida que os tornam humanos. E sem religião, as pessoas perdem o caminho através do qual poderiam moderar seu caráter interior e salvar-se da destruição espiritual.

O comunismo nunca tentou esconder esses objetivos. Podemos ver isso nos escritos de Karl Marx e Friedrich Engels. “O Manifesto Comunista” afirma: “O comunismo abole as verdades eternas, abole todas as religiões e toda a moralidade”. Também podemos ver que em todos os países que o comunismo penetra ele inicia movimentos sociais que levam a cabo essa destruição.

Muitas pessoas são inconscientemente envolvidas nesses movimentos e são levadas a acreditar que estão lutando por uma causa justa. O comunismo forma suas narrativas através de falsas estruturas, meias-verdades e dados manipulados. A ignorância muitas vezes agressiva de seus seguidores mais devotos fornece terreno fértil para propagar essas histórias falsas.

Muitas pessoas nunca percebem que as questões que esses movimentos sociais promovem nunca são o objetivo do comunismo. Novamente, o objetivo é a destruição da humanidade através da eliminação da moralidade, tradição e religião. As questões que os movimentos comunistas impulsionam são meros passos para alcançar essa destruição. Depois que os movimentos socialistas e comunistas conseguem forçar uma agenda que vai contra os valores de uma sociedade, eles rapidamente se movem para outra agenda que vai além das normas sociais.

Os movimentos comunistas fabricam seus problemas usando uma fórmula simples, apresentada sob a teoria comunista do materialismo dialético: primeiro eles identificam um valor moral ou cultural incumbente. Então eles invertem esse valor e usam a inversão para formar uma questão social para atacar e desgastar o valor estabelecido.

A destruição da moral e das tradições estava relacionada à teoria de Marx sobre o “progresso”, que, de acordo com o conceito de curso dos impérios, era sobre levar o mundo ao estado de destruição moral, cultural e social.

Marx promoveu sua teoria dos cinco estágios da civilização para afirmar que o desenvolvimento da sociedade estava levando a suas teorias do comunismo. O primeiro estágio, acreditava ele, era o comunismo primitivo, depois a sociedade agrária, seguida pelo capitalismo, depois pelo socialismo e depois pelo comunismo.

É claro que Marx estava apenas reformulando idéias existentes sobre os estágios da civilização. Se fôssemos entender isso a partir dos estágios dos impérios, ou da representação de Thomas Cole do “Curso dos Impérios”, elaborada na mesma época das teorias de Marx, o comunismo primitivo era a sociedade primitiva onde ainda nada havia sido construído e a sociedade agrária era a da agricultura e da vida simples. O capitalismo era o “império consumado”, o socialismo era o estágio da “destruição” e o comunismo era o estágio da “desolação”, onde todos haviam sido destruídos.

A partir disso, podemos entender que o auge de um império é o império consumado, que Marx denominou de “capitalismo”. O estado de destruição era o que Marx chamava de “socialismo” e o que Lenin chamava de “capitalismo de estado”que o Estado havia tomado o controle de todos os meios de produção e alcançado a ditadura que poderia ser usada para impulsionar o objetivo final do comunismo, que era o estado de “desolação”, no qual tudo foi destruído.

O objetivo final do comunismo é a aniquilação de todas as morais e valores, todas as culturas, toda hierarquia fora de seu controle e qualquer tipo de sistema que possa ter poder sobre a psique ou a restrição moral de uma pessoa.

De acordo com os princípios da criação e destruição no universo, nas quatro estações e nos impérios humanos, o comunismo está tentando acelerar o “progresso” em direção à destruição da humanidade. Ele quer levar as pessoas mais rapidamente a essa destruição, acelerando o processo de declínio moral; e nas questões promovidas pelos movimentos comunistas, podemos vê-las ativamente fazendo isso em todas as partes do mundo.

Para escapar desse caminho de destruição criado pelo comunismo, as pessoas precisam restaurar o que o comunismo está tentando destruir, retornando à tradição e à moralidade.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com