Arcebispo denuncia massacre de cristãos na Nigéria

Um arcebispo anglicano está denunciando que os cristãos da Nigéria estão sob risco diante do avanço dos jihadistas islâmicos no país.

O líder religioso Ben Kwashi está pedindo a atenção mundial à perseguição religiosa em seu país.

O governo da Nigéria não consegue garantir a segurança à população, especialmente do norte do país, onde muitos cristãos estão sendo mortos e expulsos de suas casas por muçulmanos da etnia fulani fortemente armados.

O arcebispo também criticou reportagens imprecisas da mídia, que ignoram a situação calamitosa no país, registra a Gospel Prime.

Não é o caso da Renova Mídia. Desde a nossa criação estamos denunciando a perseguição contra cristãos no país africano. Em junho deste ano, por exemplo, centenas de fiéis foram mortos em ataques de extremistas islâmicos.

A ONU trata a crise humanitária no nordeste da Nigéria como “uma das mais severas do mundo”. Contudo, evita abordar que a motivação é religiosa.

Mais de 7 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária nos estados mais afetados de Borno, Adamawa e Yobe.

A maioria dos refugiados são cristãos que fugiram para salvar suas vidas.

A Release International, ONG do Reino Unido, estima que os militantes islâmicos mataram 6.000 pessoas na Nigéria nos primeiros seis meses de 2018 e expulsaram quase 50 mil de suas casas, conforme noticiou a Renova Mídia.

Fonte – Renova Mídia / Gospel Prime

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS