Planta que a China germinou na Lua morre após oito dias

0
45

O broto de algodão não sobreviveu à noite lunar, que dura até duas semanas (no tempo da Terra) e cujas temperaturas podem cair a -170 graus Celsius.

Pouco mais de oito dias. Exatamente, 212 horas. Esse foi o tempo de vida da primeira planta a germinar na Lua, um broto de algodão. A germinação foi considerada um marco na exploração espacial.

O feito havia sido obtido pela missão chinesa Chang’e-4, uma sonda não tripulada, a primeira a pousar e explorar o lado oculto da Lua, aquele que não pode ser visto do nosso planeta.

Como a rotação da Lua é sincronizada com seu movimento de translação ao redor da Terra, esse lado está sempre posicionado de costas para nosso planeta.

A planta havia germinado a partir de sementes levadas pela sonda e estava vivendo em um recipiente especial, conforme noticiou a RENOVA.

Já haviam sido cultivadas plantas na Estação Espacial Internacional (que orbita a Terra), mas nunca na Lua.

Mas o broto de algodão não sobreviveu à noite lunar, que dura até duas semanas (no tempo da Terra) e cujas temperaturas podem cair a -170 graus Celsius. Durante esse período noturno, toda a sonda chinesa entra em modo de hibernação, para poupar energia.

Não foi um erro ou um fracasso, pelo contrário, já estava previsto que isso poderia ocorrer.

O professor Xie Gengxin, da Universidade Chongqing, que liderou o planejamento do experimento, afirmou a um jornal chinês que sua equipe já havia antecipado que a planta teria uma vida curta, informa o “UOL“.


CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS