Chanceler do Brasil Ernesto Araújo diz que Maduro pratica ‘genocídio silencioso’

0
34

O chanceler brasileiro disse que o governo Bolsonaro estuda congelar bens de autoridades venezuelanas para pressioná-lo.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, atacou duramente o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmando que o regime é fortemente ligado ao crime organizado, narcotráfico e terrorismo.

Segundo a Jovem Pan, o chanceler do Brasil ponderou:

“Isso dependeria de uma decisão política e de uma análise de como fazer esse congelamento. Diferentes elementos de pressão sobre o regime podem ser pensados, mas isso requer uma coordenação que vai além do Itamaraty.”

O ministro Ernesto Araújo também afirmou que a ditadura de Maduro era um “genocídio silencioso”:

“Era uma situação de genocídio silencioso. Fazia uma política deliberada de fazer o povo passar fome, passar necessidade, negar tratamento médico e serviços para humilhar o povo e garantir seu domínio sobre uma população submissa. O regime coincide com o crime organizado, o narcotráfico e até mesmo com o terrorismo.”

Durante a fala no Itamaraty ele diz esperar que Rússia e China, principais aliados internacionais da Venezuela, vejam a realidade do país e que o Brasil está disposto a contribuir para isso.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS