Na ONU, Jean Wyllys conecta Jair Bolsonaro ao assassinato de Marielle Franco

0
0

Em reunião nas Nações Unidas, nesta sexta-feira (15), a embaixadora do Brasil se recusou a ouvir o extremista de esquerda Jean Wyllys.

O motivo da revolta da representante diplomática do governo Jair Bolsonaro com a presença do psolista na reunião da ONU ficou evidente.

Em um certo momento do seu discurso, Jean Wyllys declarou:

“A minha presença aqui amedronta a senhora e o seu governo, que não tem compromisso com a democracia.”

E acrescentou:

“A imprensa revela ligações entre organizações criminosas, os assassinos de Marielle Franco e a família do presidente da República, que ocupa o Palácio do Planalto.”

O jornalista Jamil Chade publicou no Twitter os ataques de Jean Wyllys contra o governo do Brasil:

Nesta quinta-feira (14), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, desmentiu os rumores espalhados pela militância do Partido dos Trabalhadores (PT) sobre o envolvimento do círculo do presidente Jair Bolsonaro e o assassinato da psolista Marielle Francocomo você viu na RENOVA.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS