TRF-1 suspende apuração da PF sobre advogado de Adélio Bispo

0
29

O desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Néviton Guedes, mandou suspender nesta quinta-feira (28) apurações sobre a suposta participação do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior no atentado contra o presidente Jair Bolsonaro.

O ataque contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, aconteceu durante a campanha eleitoral do ano passado.

O advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior é o responsável pela defesa de Adélio Bispo – esfaqueador confesso do atual presidente.

Após concluir em um primeiro inquérito que o ex-integrante do PSOL agiu sozinho, a Polícia Federal abriu um segundo inquérito, para dar continuidade às apurações, visando comprovar “participação de terceiros ou grupos criminosos” no atentado ao político fora do local do crime.

Em dezembro, sob justificativa de tentar identificar quem estaria financiando a defesa de Adélio, a PF em Minas Gerais cumpriu dois mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao advogado, como noticiou a RENOVA.

Atendendo ao pedido do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) e da OAB de Minas Gerais, o desembargador Néviton Guedes mandou suspender a decisão da Justiça Federal em Minas Gerais que autorizou a operação de busca e apreensão.

Segundo o G1, Guedes também determinou a suspensão da perícia dos materiais apreendidos e mandou que a Polícia Federal e o Ministério Público devolvam à Justiça registros e informações colhidas na operação de busca e apreensão.

A internet brasileira reagiu à decisão do desembargador do TRF-1 ainda nesta sexta-feira, 1º de março.

Ao fechamento desta matéria, a hashtag #QuemMandouMatarBolsonaro é o assunto mais comentado do Twitter brasileiro.

Confira algumas das mensagens circulando por lá:

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS