Militar detido com cocaína na Espanha não tinha cargo na Presidência

0
0

Acusado de transportar 39 quilos de cocaína, o militar da FAB foi detido pela polícia espanhola na cidade de Sevilha.

Manoel Silva Rodrigues, segundo-sargento da Aeronáutica, é o militar que foi preso na manhã de terça-feira (25) pela polícia da Espanha, no aeroporto de Sevilha, acusado de transportar 39 quilos de cocaína, divididos em 37 pacotes em sua mala.

Silva Rodrigues era tripulante do voo que transportava a equipe avançada de que dava apoio à comitiva do presidente da República, Jair Bolsonaro.

O salário dele bruto é de R$ 7.298,10 e está lotado no Comando da Aeronáutica, segundo informações do O Globo. Procurada pela reportagem do jornal, a Força Aérea Brasileira ainda não se manifestou.

Já de acordo com a revista Veja, o militar atuava no Grupo de Transportes Especiais da FAB como comissário de bordo. Ele não tinha cargo na Presidência da República e não estava ligado diretamente à equipe presidencial de Bolsonaro.

A comitiva de apoio à equipe presidencial fez escala em Sevilha antes de seguir para o Japão, onde o chefe do Planalto participará da cúpula de líderes do G20.

Apresentado em um tribunal nesta quarta-feira (26), Silva Rodrigues foi colocado em detenção provisória, informa o site IG.

Ainda na noite de ontem, Bolsonaro disse, nas redes sociais, que determinou que o Ministério da Defesa colabore com as investigações da Polícia da Espanha.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS